DITADURA MILITAR: O QUE FOI ISSO MESMO?

* Segundo a Enciclopédia Britânica

"Os exércitos e marinhas de guerra são as maiores organizações do mundo contemporâneo como também as mais desenvolvidas tecnicamente. Em muitos países elas formam a maior força política, estabelecendo governos e controlando a sua política”.

“A principal finalidade das forças armadas é administrar e realizar a violência”.

“As forças armadas se distinguem dos outros grupos armados, tais como bandoleiros ou grupos de sublevados, pelo fato de que suas funções são geralmente realizadas em nome de uma autoridade legal. Existem óbvias exceções a esta regra. As revoltas armadas e a guerra de guerrilhas representam formas ilegais de atividades militares. Se os rebeldes têm êxito, entretanto, eles passam a ser reconhecidos como legítimos enquanto seus opositores são chamados de terroristas”.

“As forças armadas diferem da polícia pelo fato de que suas operações são dirigidas contra as forças armadas de outros países, porém também neste caso, não se pode fazer uma distinção bem nítida… em algumas nações com regime militar, o exército não é basicamente um aparelho para ser utilizado contra outros países mas sim um fator interno de poder empregado por políticos e lideres militares na luta política interna”.

“As relações entre os militares e o resto da sociedade jamais foram fáceis. Com o seu monopólio dos meios de violência, os militares inevitavelmente adquirem um certo grau de poder político, mesmo quando a constituição e as leis de um país estipulam que as autoridades civis devem predominar. Na verdade, a intervenção militar na política não surpreende tanto quanto o fato de que em muitos países tal intervenção não ocorre”.

“Parece que os países menos sujeitos a intervenções militares são aqueles com uma forte tradição democrática ou com um regime político comunista”.

“A ascensão dos regimes militares ocorre como uma reação a uma situação política em deterioração, como se pode observar nos novos países africanos. Uma vez com o poder, eles demoram para abandoná-lo. Praticamente todo o regime militar que sucede um governo civil promete, no início, deixar o poder tão logo a ordem seja estabelecida e sejam realizadas eleições gerais. Porem as eleições são sucessivamente adiadas ou manipuladas, como na Indonésia, ou declaradas sem validade, como no Paquistão, Argentina e Brasil. Cria-se uma situação em que o governo só pode ser mudado por um novo golpe militar e finalmente este método de mudança governamental se torna o costumeiro; o domínio militar se torna então permanente”.

“A expressão regime militar se aplica a governos que podem ser superficialmente bastante diversos entre si. Alguns são chefiados por monarcas, em outros apenas um partido político tem poder, enquanto em outros permitem um sistema de vários partidos. Entretanto, o poder em última análise se encontra nas mãos dos militares, que podem ou não ocupar cargos oficiais no governo. O grau de intervenção militar na vida social e econômica pode variar desde quase zero até a ocupação de todos os postos-chave econômicos, sociais e culturais, inclusive universidades e empresas publicas”.

(O texto deste artigo foi integralmente extraído da ENCICLOPÉDIA BRITÂNICA)

Núcleo do PT de Vila Buarque
R. Teodoro Baima 28 - s/17 - CEP 01220-040 - S.P.
Tel. 3257-5684  -  e-mail: contato@ptvilabuarque.com.br